Páginas

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Aquilo que uma simples frase consegue expressar

                Acabei de ler agora:

                “A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la.” Bob Marley

                A sério! Como eu já pensei isto tanto, com tanta vontade de bater em alguém e depois penso melhor e o que eu queria mesmo era conseguir virar as costas…

                Nunca me responde às mensagens. No máximo responde-me à primeira e depois… Até me deixa a pensar “Será que sou eu que estou a pedir muito? Será que estou a ser chata?”, é que trocar 3 ou 4 mensagens por dia, com alguém que se tem em stand by, nem é muito pois não? E se ele gosta de mim, então não seria suposto achar uma chatice comunicar comigo. Tudo bem que às vezes me dá uma grande vontade de começar a pressiona-lo para falar daquilo que interessa, claro que eu quero saber se realmente me quer… Mas depois só me apetece nem falar de nada, só ter a oportunidade de estar em contacto. Fico com tantas saudades!
                Hoje nem tanto, cruzei-me com ele pessoalmente, mais uma vez e voltou a tratar-me como se estivesse tudo bem e maravilhoso. Ri-se muito para mim, mete-se comigo e acaba por me deixar a achar que sou completamente maluca da cabeça e que estou a fazer uma tempestade num copo de água. Mas então porquê este feeling de que tenho um castelo de cartas? Eu não falo nada, não faço papel de insegura, limito-me a desfrutar do momento, a pensar que pode ser a última vez que tenho o prazer de estar ao lado dele… Ridículo, eu sei, mas aquilo que eu penso é que se for mesmo o último não quero ficar com remorsos de não o ter aproveitado com coisas boas. Vou-lhe dando umas achegas sobre isso de saber que pode ser a última vez, para ele também não pensar que eu ando aqui toda iludida, ele só sorri! E apazigua-me o coração, pode ser mera ilusão e ele realmente ainda não ter tomates para terminar de vez a relação, mas no estado em que eu estou, já nem quero saber. Ilumina-me, acende aquela luzinha no fundo do túnel. É verdade que ainda tenho esperança (rezo todos os dias).
                Já nem me conheço. Não costumo ser assim, normalmente consigo controlar tão bem os meus sentimentos e nunca me deixar inferiorizar, nunca me submeter ao bel prazer dos outros… Mas agora não consigo e isso só me leva a achar que estou perdidamente apaixonada. Se não é paixão então não sei o que é (já ronda a obsessão e o vicio, eu sei, mas nem quero pensar nisso dessa forma). Na verdade, a única razão para eu andar completamente descompensada, deve-se inteiramente ao facto de ele não falar de absolutamente NADA comigo. Não sei nada do que lhe vai na cabeça, não conheço as suas dúvidas, nem os seus dilemas, nem o que ele pensa serem os prós ou os contras de uma relação comigo ou em voltar para a mulher, nem as expectativas para comigo… e nem adianta perguntar porque não obtenho resposta e depois além de continuar na ignorância ainda me sinto ignorada que é pior…
                Por isso estão a imaginar o meu pânico quando ele me diz que esta a falar com a esposa (note-se, até onde sei, estão separados)… Bem, não vamos mais falar disso!

                Gostei muito do dia de hoje (não tanto como eu espero um dia gostar), no mínimo foi bom para aliviar um bocado a tensão, vai-me valer por uns dias. Obrigada!

** ** **

2 comentários:

  1. Como isso é verdade!
    E irrita tanto quando eles fazem isso!!!

    stellamaris.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar